Para a atual presidência matar é mais aceitável do que dar palmadas.