Falso, sequestro, ligação, dinheiro,deposito, vítima , sequestrador, sequestrado
Imagem Ilustrativa
Um homem foi vítima do golpe do falso sequestro, nesta segunda-feira (18), em Castro, e acabou perdendo a quantia de R$ 1 mil.
Segundo informações, os golpistas ligaram para vítima no período da manhã dizendo que haviam sequestrado sua filha e para resgatá-la o homem deveria depositar a quantia de R$ 1.000 reais.
O homem acabou depositando a quantia na conta do falso sequestrador, porém pouco tempo depois do deposito ele descobriu que sua filha estava trabalhando na cidade de Jaguariaíva.
Tentativa do golpe com gerente de loja.
Golpistas também ligaram para o gerente de uma loja. Na ligação os falsos sequestradores diziam que estavam em posse da funcionária da loja e o valor do resgate seria R$ 500,00 reais. O gerente desligou o telefone e tentou ligar para sua funcionária, mas o telefone dela estava desligado.
Polícia Militar foi acionada, realizou patrulhamentos e encontrou a funcionária almoçando nas proximidades da loja.



Dicas contra o golpe do falso sequestro.

Os falsos sequestros relâmpagos são um tipo de golpe que assustam cada vez mais a população, nesses golpes o criminoso  liga para a vítima e simula que um parente seu foi sequestrado, e exige que seja depositada ou transferida para sua conta corrente certa quantia em dinheiro.
As pessoas acabam fazendo pré-julgamentos e passam a imaginar coisas que não existem, por isso a principal dica é, caso você receba uma ligação dessas, desligar imediatamente o telefone e tentar,     com a ajuda de alguém ou da polícia, encontrar a pessoa supostamente  sequestrada. Os marginais aproveitam-se do estresse que o impacto da má notícia causa e manipulam a mente da vítima facilmente.
Muitas das ligações são oriundas de outros estados, como São Paulo ou Rio de Janeiro, Nordeste por isso tenha cautela ao ver as iniciais 021 ou 011, 85,87 no seu identificador de chamadas. 
Só atenda ligações a cobrar se estiver esperando a ligação de alguém.Sequestradores em situações reais não ficam muito tempo na linha, para que a sua localização não seja identificada; os falsos tentam ficar com a pessoa na linha até que ela faça o depósito, e também para evitar que ela tente contato com seu parente supostamente sequestrado.