Sandro Carrilho deve pedir desculpa ao prefeito de Castro

O jornalista pontagrossense Sandro Adriano Carrilho vai usar o seu jornal nos próximos dias para pedir desculpas ao prefeito de Castro, Moacyr Elias Fadel Junior, e demais autoridades do município. Sandro fez uma publicação ofensiva contra o prefeito, secretários e um vereador. O grupo acabou entrando com uma ação penal no Juizado Especial Criminal de Castro contra o jornalista, a qual foi aceita pela justiça.

Agora, após o processo, o jornalista vai usar sua coluna no jornal para se retratar. “Determino que em 15 dias, o quarelado publique a retratação na mesma coluna do periódico, em iguais condições em que a ofensa fora proferida (lugar, letra e tamanho de texto)”, diz trecho da decisão assinada pela Juíza de Direito Adriana Paiva.

Sem credibilidade

Alvo de vários processos judiciais, o jornalista Sandro Carrilho amarga um desgaste jornalístico acompanhado de uma evidente perda de credibilidade. O seu jornal, que antes era o mais prestigiado pelos castrenses, hoje já não ostenta audiência e poder diante a opinião pública. Essa crise acontece porque de uns tempos para cá o impresso começou a ser usado apenas para atacar com inverdades a atual gestão municipal e aplaudir meia dúzia de engravatados.

Música no Fantástico

Pela regra do programa Fantástico, exibido aos domingos na Rede Globo, Sandro Carrilho também já pode pedir sua música. Afinal, ele perdeu três ações judiciais consecultivas para a família Fadel – sendo duas para Moacyr e uma para Neto Fadel. Nas três as ações que perdeu, o jornalista, que anda sendo comparado com certo personagem do cinema que era conhecido por seu nariz crescer quando contava mentiras, foi condenado por publicar notícias mentirosas no jornal que dirige. Em uma das condenações, o jornal teve que entregar computadores e móveis de escritório ao prefeito. Os objetos foram doados para pessoas carentes.