Com direito a honrarias fúnebres realizadas por militares do Exército Brasileiro, foi sepultado na tarde sexta-feira (19) no Cemitério Frei Mathias em Castro, o ex- combatente da Segunda Guerra Mundial Wilson Garcia de Lima, 97 anos. O tenente reformado morreu durante a madrugada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Vicentino, em Ponta Grossa.

Wilson era um dos poucos militares da região dos Campos Gerais que lutaram contra o Nazismo durante a Segunda Guerra Mundial. Na época, se apresentou ao exército como voluntário e recebeu treinamento por 60 dias no 13° Regimento, em Ponta Grossa. Após o treinamento, foi um dos 25.300 combatentes convocados para a guerra. Enviado para a Itália, lutou durante seis meses e por esse período seu agrupamento cobriu cerca de 480 quilômetros até o término da guerra. Foi como soldado e voltou como 2º Tenente, sendo condecorado com cinco medalhas pela Força Expedicionária Brasileira FEB, além de receber inúmeras homenagens.

Wilson também ficou conhecido por ser o pracinha que pediu emprego para o ex-presidente Juscelino Kubitschek. Após deixar o Exército, trabalhou como caminhoneiro, mas cansado da profissão decidiu ir ao Rio de Janeiro para pedir um emprego melhor aos contatos que havia feito durante a vida militar. Na primeira ida nada conseguiu. Voltou pela segunda vez e encontrou um ex-comandante que o levou para uma salinha. Lá, encontrou o então presidente Juscelino Kubitschek (JK) sentado atrás de uma mesa. Pediu emprego. Quando voltou de viagem, contou a façanha aos amigos, que não acreditaram na história. Uma semana depois saiu um ofício que o designava como gerente da agência dos Correios de Castro. Ficou na função até a aposentadoria. Depois disso trabalhou como vendedor de sapatos em Ponta Grossa.

Wilson era natural de Ponta Grossa, mas morava em Castro. Ele deixa esposa e cinco filhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here