A Secretaria Municipal da Família e Desenvolvimento Social promoveu na terça-feira (11) no Centro da Juventude Wallace Thadeu de Mello, encontro com a participação de representantes da Rede Socioassistencial do município, pelo Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, comemorado nesta quarta-feira (12).

A assistente social de gestão de proteção social especial, Rosmeri Gebeluka, destacou que o município está trabalhando com a temática proposta pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Fnpeti) com o objetivo da prevenir e contribuir para a erradicação do trabalho infantil no município, valorizando a educação e a profissionalização na idade certa.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do Censo 2010, havia 5442 crianças com idade entre 10 e 13 anos no município, e dessas 260 trabalhavam. Já na faixa etária de 14 e 15 anos, de um total de 2742 adolescente, 328 faziam algum tipo de trabalho para ganhar dinheiro ou para ajudar a família.

Rosmeri ressalta que o trabalho infantil prejudica o desenvolvimento físico, psicológico e emocional, sendo ainda, umas das principais causas da evasão escolar. “A infância e a adolescência são fases de desenvolvimento da criança e do adolescente onde eles precisam brincar, estudar, praticar esportes, se divertir e fazer cursos profissionalizantes quando tiverem idade para isso. É preciso respeitar a lei e buscar formas de proteger essas crianças e adolescentes”, explica.

O encontro contou ainda com palestra da doutoranda em sociologia, Kellen Bernardo, que falou sobre prevenção e combate ao trabalho infantil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here