Operação ‘Judas’ apura fraudes de licitações em Arapoti


O Ministério Público, com o apoio da Polícia Militar, deflagrou na manhã desta quarta-feira (10) a Operação Judas, com o objetivo de apurar supostas fraudes em licitações na Câmara Municipal de Arapoti, nos Campos Gerais. Cerca de dez policiais participaram da ação que apura crimes de fraude, peculato, falsidade ideológica e organização criminosa.


De acordo com as investigações, o presidente da Câmara, do diretor-geral da Casa, a controladora interna, dois empresários e outros dois servidores do legislativo estão sendo investigados sob indícios de integrarem o esquema criminoso. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na residência dos acusados e na sede da Câmara Municipal.

A quadrilha é suspeita por procedimentos de fracionamento de licitação, além do superfaturamento de serviços e materiais foram realizados. Com isso, eram realizadas contratações diretas sem a devida licitação. Também, segundo a apuração, há indícios de que documentos supostamente falsos foram encaminhados para o Ministério Público para camuflar o esquema. Os crimes teriam ocorrido entre 2016 e 2017.

O MP informou que a investigação está instruída com diversos documentos e com depoimentos de servidores públicos da Câmara Municipal que denunciaram o esquema para o Ministério Público.

Postar um comentário

0 Comentários